jusbrasil.com.br
20 de Fevereiro de 2020

Negros escravizaram Portugueses por 741 anos

Renato Furtado, Administrador
Publicado por Renato Furtado
há 5 anos

Negros escravizaram Portugueses por 741 anos

A grande divida que os brancos tem com os negros por 400 anos de escravidão é provavelmente a maior mentira já contada na história. O preconceito contra os brancos é tão grande que até o google mudou o resultado da minha pesquisa de “império mouro escravidão” para “império romano escravidão”. Mouro vem do latim Maures que significa Negro, devido a cor da pelé deles dos integrantes do Império Mouro.

O Império Mouro foi o grande império muçulmano que conquistou o norte da África, Oriente Médio e Península Ibérica (onde hoje se localizam Portugal e Espanha), é o mesmo império que alguns muçulmanos querem refazer através do estado islâmico. Com o regime de Califado, onde um homem seria escolhido por Deus para liderar o povo muçulmano na conversão do mundo para o islamismo.

Com o declínio do Império Romano, o Califado conseguiu uma brecha e em menos de uma década conquistou a península Ibérica inteira. Apesar da resistência de algumas regiões que voltaram rapidamente ao domínio Cristão, o Império Mouro permaneceu de 711 até 1452 na península, oque nos leva a 741 anos de ocupação e também de escravidão do povo cristão.

Se considerarmos o tempo que os portugueses escravizaram negros de 1415 a 1975 (se considerarmos o período colonial da Angola e Moçambique pós escravidão, pois a escravidão foi abolida em 1869), foram 560 anos. É um mal caratismo populista sem fim dessas organizações racistas promotoras de conflitos que nem deveria existir a essa altura do campeonato.

A escravidão sempre existiu e sempre foi com o intuito de gerar mão de obra e não por causa da cor da pelé. Brancos já escravizaram brancos, negros já escravizaram negros. Nos primórdios o escravo era propriedade de outra ou em algumas nações os escravos eram os que pagavam impostos e os cidadãos não pagavam.

E com o fim da escravidão o que realmente aconteceu foi que todos nos tornamos escravos através da cobrança de impostos. E para manter seu poder escravocrata o governo vem promover o conflito entre brancos e negros. Mais liberdade, menos dependência, quanto menos pedirmos ao governo menos impostos pagamos e enfraquecemos o governo.

As fontes se encontram no artigo original:

http://renatofurtado.com/wp/2015/05/13/negros-escravizaram-portugueses-por-mais-de-741-anos/

34 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Renato, bom dia. Você postou apenas um pequenino pedaço da história sobre guerras e escravidão, sou negro, e não digo isso porque tenho ou não tenho pelé escura, mas porque a maioria do povo brasileiro desconhecer sua árvore genealógica. O Egito que está no Continente Africano era escravagista, que o diga o povo hebreu; as tribos mais poderosas da Africa, de uma maneira geral, dominou e escravisou e foi além, comercializou seu próprio povo. Shakespeare nos deixou o clássico Otelo o Mouro. A saber, peças de nível shakespesriano são semiológicas e trazem sempre os signos do espelho da verdade, sem contar que este autor é tão importante para a história mundial, que vinte e cinco porcento das palavras inglesas foram por ele criadas, puro neologismo que acarretou na arquitetura de uma Língua, que até o século XVI ainda não possuía o fabuloso pai dos "burros", o dicionário essa informação tem como FONTE: Dra. Ângela Reis - docente na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - a qual fui educando.
Boa sua pesquisa e entendo sua imparcialidade, apenas quer ajudar a tirar da ignorância os menos esforçados e os que não tem assesso à informações (estes também são vitimas do sistema). A era do pão e circo tem de chegar ao fim.
Nem negros, nem brancos, nem pardos ou quaisquer outras etnias, mas pela libertação dos oprimidos das mãos sujas de seus opressores.
Valeu Renato, Abraço cordial. continuar lendo

Obrigado Nilson, Abraço! continuar lendo

Até um Portuga foi la e acabou com essas mentiras:
1- Mouro não significa “negro”, significa “nativo da Mauritânica” que nada tem que ver com o actual país, mas com um reino norte africano composto por Berberes que são caucasianos. O nome “Maurício” quer dizer exactamente o mesmo. Fazer uma tradução literal da origem grega é portanto errado.

2- “Mouro” adquiriu na idade média a posição de sinónimo de “Islâmico” ou “sob domínio Islâmico. Mais que um termo racial era um termo cultural. Os “mouros” do Al-Andaluz eram uma mistura de cinco povos diferentes e não um só, sendo o mais significativo (a esmagadora maioria), os Moçárabes, que eram europeus cristão sob domínio ou convertidos ao islão. A esses juntavam-se ainda judeus, árabes, soldados berberes e os saqaliba (os tais escravos da Europa de Leste). Quando falamos em “mouro” estamos a falar dessa gente toda e desses povos todos.

3- Portugal nunca esteve 741 anos debaixo de domínio mourisco, aliás nem sequer perto disso. Portugal ficou debaixo de domínio Mouro entre 711 e acabou a sua reconquista em 1249, ou seja 538 anos depois, mais de 200 anos a menos do que afirmou. Foi Castela quem só terminou a sua reconquista em 1492. Nessa altura já Portugal tinha começado a sua expansão marítima há 77 anos! Já tinha colónias, descoberto os Açores, a Madeira, já tinha começado a exploração do ouro africano e do marfim, etc!

Enfim, obrigado por nos tentar defender, mas acho que nenhum português tem vergonha da sua história. Nem mesmo da escravatura. O passado é passado e deve ser encarado segundo as mentalidades da época.
Cumprimentos de Portugal…

1- https://pt.wikipedia.org/wiki/Maurit%C3%A2nia_romana, o Romanos foram os primeiros a criar a “Mauritânea”.

2- Não, não havia muitos negros. Não havia negros na verdade. O contacto dos portugueses com subsaarianos só ocorreu com a expansão marítima. Aliás, não havia sequer muitos árabes ou berberes, havia isso sim muitos judeus (que chegaram muito antes), como geneticamente é fácil de provar. A Invasão árabe foi feita com um pequeno contingente de soldados árabes e berberes sob o comando o Omíada Tariq ibn Ziyad, ele próprio possivelmente um escravo liberto. O seu sucesso foi obra das populações locais que definhavam sob os reinos germânicos e que por conta disso abriam as portas das cidades aos invasores. A rapidez deve-se portanto ao nativos e não aos poucos invasores.

“A população sob o domínio muçulmano era muito heterogênea e constituída por árabes e berberes, uns e outros muçulmanos, moçárabes (hispano-godos que, sob o domínio muçulmano conservaram a sua religião, mas adotaram as formas de vida exterior dos muçulmanos), cristãos arabizados e judeus.”

Quanto ao vitimismo das sociedade brasileira é um facto. Nós portugueses conhecemo-la como ninguém. Já não é coisa que nos apoquente.

Os moçárabes, que constituíam a maioria da população, gozavam de liberdade de culto e tinham leis próprias, mas a troco dessas vantagens eram obrigados ao pagamento de dois tributos: o imposto pessoal de captação e imposto predial sobre o rendimento das terras.

3- Se não se refere ao domínio de território português então está errado de qualquer forma. A utilização de escravos europeus por parte dos árabes e norte africanos (erradamente associados a negros nesta página), começou muito antes da invasão, teve patrocínio dos Romanos e acabou muitíssimo depois. Portugueses prisioneiros de guerra eram escravizados um pouco pelo mundo fora, etc. continuar lendo

A peça de William Shakespeare “Otelo, o mouro de Veneza” tem como personagem principal um mouro chamado Otelo, o qual é descrito por Shakespeare como negro.
No entanto, esses fatores não mudam nada: os mouros continuam sendo caucasóides, quer as pessoas aceitem ou não, o que vale também para o Renato Furtado, que deveria parar de considerar os mouros como negros. continuar lendo

"Imaparcialidade" hahahahhahahahahhaha
Pura falsificação Histórica (intreseca a direita)
Até um Portuga foi la e acabou com essa mentira

1- Mouro não significa “negro”, significa “nativo da Mauritânica” que nada tem que ver com o actual país, mas com um reino norte africano composto por Berberes que são caucasianos. O nome “Maurício” quer dizer exactamente o mesmo. Fazer uma tradução literal da origem grega é portanto errado.

2- “Mouro” adquiriu na idade média a posição de sinónimo de “Islâmico” ou “sob domínio Islâmico. Mais que um termo racial era um termo cultural. Os “mouros” do Al-Andaluz eram uma mistura de cinco povos diferentes e não um só, sendo o mais significativo (a esmagadora maioria), os Moçárabes, que eram europeus cristão sob domínio ou convertidos ao islão. A esses juntavam-se ainda judeus, árabes, soldados berberes e os saqaliba (os tais escravos da Europa de Leste). Quando falamos em “mouro” estamos a falar dessa gente toda e desses povos todos.

3- Portugal nunca esteve 741 anos debaixo de domínio mourisco, aliás nem sequer perto disso. Portugal ficou debaixo de domínio Mouro entre 711 e acabou a sua reconquista em 1249, ou seja 538 anos depois, mais de 200 anos a menos do que afirmou. Foi Castela quem só terminou a sua reconquista em 1492. Nessa altura já Portugal tinha começado a sua expansão marítima há 77 anos! Já tinha colónias, descoberto os Açores, a Madeira, já tinha começado a exploração do ouro africano e do marfim, etc!

Enfim, obrigado por nos tentar defender, mas acho que nenhum português tem vergonha da sua história. Nem mesmo da escravatura. O passado é passado e deve ser encarado segundo as mentalidades da época.
Cumprimentos de Portugal…

1-o Romanos foram os primeiros a criar a “Mauritânea”.

2- Não, não havia muitos negros. Não havia negros na verdade. O contacto dos portugueses com subsaarianos só ocorreu com a expansão marítima. Aliás, não havia sequer muitos árabes ou berberes, havia isso sim muitos judeus (que chegaram muito antes), como geneticamente é fácil de provar. A Invasão árabe foi feita com um pequeno contingente de soldados árabes e berberes sob o comando o Omíada Tariq ibn Ziyad, ele próprio possivelmente um escravo liberto. O seu sucesso foi obra das populações locais que definhavam sob os reinos germânicos e que por conta disso abriam as portas das cidades aos invasores. A rapidez deve-se portanto ao nativos e não aos poucos invasores.

“A população sob o domínio muçulmano era muito heterogênea e constituída por árabes e berberes, uns e outros muçulmanos, moçárabes (hispano-godos que, sob o domínio muçulmano conservaram a sua religião, mas adotaram as formas de vida exterior dos muçulmanos), cristãos arabizados e judeus.”

Quanto ao vitimismo das sociedade brasileira é um facto. Nós portugueses conhecemo-la como ninguém. Já não é coisa que nos apoquente.

Os moçárabes, que constituíam a maioria da população, gozavam de liberdade de culto e tinham leis próprias, mas a troco dessas vantagens eram obrigados ao pagamento de dois tributos: o imposto pessoal de captação e imposto predial sobre o rendimento das terras.

3- Se não se refere ao domínio de território português então está errado de qualquer forma. A utilização de escravos europeus por parte dos árabes e norte africanos (erradamente associados a negros nesta página), começou muito antes da invasão, teve patrocínio dos Romanos e acabou muitíssimo depois. Portugueses prisioneiros de guerra eram escravizados um pouco pelo mundo fora, etc. continuar lendo

Renato não adianta forçar a barra... O que aconteceu em Portugal não tem nada, a vê com o que aconteceu nas américas então não força a barra. continuar lendo

Meu caro Renato Furtado, ninguém melhor do que você para dar voz a sua pesquisa. Se valendo de fontes confiáveis, quem vai desmentir suas afirmações? Pois é, sua afirmações... O que você pesquisou, meu caro, é uma teoria, uma linha de pensamento. Nem mesmo teorias do quilate da Evolução das Espécies desmentiram as demais teorias que tratam do mesmo tema, ai você vem dizer que a escravidão negra é uma mentira? E ainda acusa o governo de promover a luta de classes? Somente com essas afirmações, você acabou demonstrando a tendenciosidade do seu trabalho e imagino que Marx, pra você, é um demônio... continuar lendo

Leia novamente, não falei que a escravidão dos negros é uma mentira, pelo contrário falei que além dos brancos, os negros também escravizaram os negros.
E hoje todos somos escravos, minha luta é justamente contra a escravidão que se torna cada dia pior. continuar lendo

Caro Alex, O Renato está na mesma linha de pensamento que você! continuar lendo

Berbers não são negros são brancos de pele escura por causa do sol. continuar lendo

os europeus não escravizaram, praticamente, compravam já escravizados... e por quem mesmo? 😊 muito bom artigo continuar lendo

isso foi so no comeco, depois a escravidao se torno racial, e colonizaram o continente africano transformando todos em escravos continuar lendo